Trocando Cisco Por Asterisk

A Tendência em Construir Rede em Plataforma Aberta Tem Ficado Limitada até Aqui, mas Deve Crescer Rapidamente

Phillip Britt, 18 de Outubro de 2006, Computerworld
O texto original pode ser lido diretamente no link
http://www.computerworld.com/action/article.do?command=viewArticleBasic&taxonomyName=hardware_devices&articleId=9004223&taxonomyId=140

 

Trocando Sistemas Cisco Por Plataforma Aberta


O movimento da Plataforma Aberta, que a tempos tem feito incursões nas corporações via Linux e com outros software de nível corporativo, agora tem em sua mira um alvo potencialmente gigante: os PABX´s e Roteadores de fornecedores como a Cisco Systems Incorporated que formam a base de infra-estrutura de rede.

Até agora, o movimento tem se limitado amplamente a pequenas e médias organizações e tem girado em torno do PABX Plataforma Aberta Asterisk e dos Roteadores Plataforma Aberta Vyatta. A Cisco e outros fornecedores tradicionais de equipamentos de rede certamente não foram ainda fustigados por isso em seus negócios. Mas, isso está em um movimento crescente que eles estão ignorando os perigos que ronda seus negocios: baixo custo, tecnologias com alta funcionalidade que têm uma maneira muito mais rápida de substituir uma arquitetura existente do que os fornecedores de sistemas proprietários conseguem realizar, dizem os fornecedores de Plataforma Aberta.

Como você poderia supor, se PABX´s e Roteadores em Plataforma Aberta são superiores aos seus primos proprietários é uma questão de controvérsia. As pequenas e médias corporações que tem trocado seus PABX´s e roteadores proprietários por sistemas em Plataforma Aberta, dizem que os novos sistemas oferecem funcionalidades similares com mais flexibilidade e custo muito baixo que os sistemas proprietários. Os fornecedores de sistemas proprietários, no entanto, questionam se fornecedores de Plataforma Aberta oferecem níveis de serviços de suporte adequados e se quem os compram, têm o conhecimento técnico necessário para instalar e manter seus sistemas.


A Ameaça a Cisco

A Plataforma Aberta “pode não ter um forte impacto por agora, mas nós estamos começando a ver algumas companhias, que tem em torno de 5000 pontos, a considerar a hipótese de fazer a troca (pelo Asterisk). O melhor do que fazer a trocar, isso terá um impacto”, Chad Agate, co-fundador e CEO da SIPBox com sede em Tinley Park, Ilhinous, diz do Asterisk e tecnologias de Plataforma Aberta. Antes de formar a SIPBox, Agate operava uma companhia que vendia sistemas Cisco, mas vendeu esta firma para se concentrar, em vez disso, na venda de sistemas Asterisk. A SIPBox tem substituído ou está no processo de substituição de sistemas Cisco, Nortel e Avaya – alguns com centenas de pontos – e espera que mais companhias façam o mesmo.

“A Plataforma Aberta faz muito sentido para instituições sem fins lucrativos’, as quais constitui uma parcela significativa da base de clientes da SIPBox, diz Agate. “Eles gastam em torno de 40% menos do que gastavam com o sistema Cisco e mantiveram o mesmo conjunto de características”.

O Asterisk roda sobre uma grande variedade de sistemas operacionais, incluindo Windows, Linux, Mac OS X, OpenBSD, FreeBSD e Sun Solaris. Inclui as características top de linha de PABXs proprietários e opera com software padrão. Novas funções podem ser criadas escrevendo scripts na linguagem Asterisk, escrevendo módulos em C e escrevendo scripts em Perl ou outras linguagens (veja “Jogue fora seu PABX: Por Que o Asterisk Poderá Ser o Futuro da Tecnologia VoIP da sua Rede”).

A tendência para adoção de tecnologias em Plataforma Aberta está um pouco limitada ainda a companhias que tem relativamente necessidades simples, tem alguma expertise técnica no staff ou ambas, de acordo com analistas. Mas, o movimento está claramente ganhando força no momento, com companhias substituindo tanto sistemas existentes por tecnologias abertas como escolhendo produtos com Plataforma Aberta em detrimento de produtos proprietários em novas instalações.

Por exemplo, Bill Ciminelli, vice-presidente de desenvolvimento de rede e serviços da American Fiber Systems Incorporated com sede em Rochester, Nova Iorque, está nos estágios finais de conversão dos sistemas de PABXs da sua companhia (um sistema Nortel e um sistema NEC distribuído) para um sistema baseado na Plataforma Aberta Asterisk.

“Se alguém tivesse me apresentado a idéia de um sistema em Plataforma Aberta a 18 meses atrás, eu teria dito em hipótese alguma”, diz ele. “Agora se alguém chegar pra mim com uma (tecnologia), eu pergunto primeiro se existe uma opção em Plataforma Aberta”.

O que chegou ao limite foi o preço pago pela performance. Ciminelli calcula que ele teria pago pelo menos três vezes mais com o mesmo número de conexões sobre um sistema Cisco se comparado com o que ele tem pago sobre a solução Asterisk.


Vantagens do Asterisk?

As vantagens da tecnologia Asterisk, de acordo com Ciminelli, são aquelas iguais as que a American Fiber foi capaz de cobrir seu plano antigo de discagem pelo seu novo plano de discagem, permitindo aos usuários começar usar qualquer um dos dois planos. Além disso, a solução de rede construída permite aos sistemas de telecomunicações da American Fiber em duas localidades funcionar independentemente uma da outra se necessário.

Apesar do sistema Cisco garantir características similares, existe certa perda de funcionalidade caso as conexões entre os sites forem interrompidas, de acordo com Ciminelli. Se isso acontecer, o sistema Asterisk inclui um backup via Time Division Multiplexing (TDM) com o segundo site. O usuário não conseguiria realizar a conexão se tivesse sido interrompida, diz ele. A Cisco poderia prover somente este tipo de backup com equipamentos duplicados em cada escritório.

Esta característica, além de outras, tal como a capacidade de cada usuário configurar pontes em uma conferência (em vez de ter que sair procurando por um administrador da central), bem como o preço, foi o fator considerado na decisão de escolha de um sistema aberto sobre um sistema Cisco e similares dos concorrentes, diz Ciminelli.

“Às vezes, você tem que sair da sua zona de conforto”, Ciminelli explica sua decisão de dar atenção a proposta de Plataforma Aberta. “Às vezes, você tem apenas que colocar seu preconceito de lado e buscar sistemas competitivos”.

Ciminelli, cuja empresa fornece sistemas metropolitano de fibra, espera que as tecnologias em Plataforma Aberta provoquem um forte impacto cada vez mais crescente no segmento do Mercado de telecomunicações.

“Como a voz se tornou mais uma aplicação, existe menos valor associado com o nome marcado na caixa”, ele sustenta.


Por que a Cisco não Precisa se Desesperar

No entanto, Ciminelli faz parte da minoria, e a Plataforma Aberta ainda representa somente uma parcela pequena do Mercado, de acordo com Krithi Rao, um analista da Frost & Sullivan com sede em San Antonio.

“Muitas da companhia que estão mudando para Plataforma Aberta estão no mercado dos pequenos e médios negócios”, diz Rao. “Muitas da grandes companhias, que é o mercado onde a Cisco atua, são levadas a permanecer com a Cisco. A Plataforma Aberta é um nicho de mercado ainda”.

Outros vêem a Plataforma Aberta como uma tendência que pode impactar fortemente no negócio da Cisco, embora talvez somente com a unidade de PABX. A Vyatta fornece um produto roteador em Plataforma Aberta, mas está muito recente no mercado, portanto é muito cedo para determinar seu impacto potencial, dizem os analistas.

O roteador flexível em Plataforma Aberta da Vyatta, como o Asterisk, roda sobre plataforma de software padrão. A Vyatta oferece ainda as mesmas características de roteamento WAN e de segurança que os roteadores com tecnologias proprietárias (veja o artigo “Vyatta Lança Roteador Plataforma Aberta ”).

Mesmo a Sam Houston University, que está migrando para o Asterisk, está mantendo seus roteadores Cisco e não está migrando para sistemas de roteador em Plataforma Aberta, diz Aaran Daniel, o analista sênior de voz da instituição (veja o artigo "Universidade descarta sistema VoIP Cisco por Plataforma Aberta Asterisk”).

“Nós estamos substituindo o PABX IP Cisco pelo Asterisk porque tem uma relação custo beneficio bem melhor”, diz Daniel. “Com a Cisco, nós temos de pagar taxa de licença para cada telefone adicional. Com o Asterisk, nós não temos problemas com licenças e nossa equipe técnica pode fazer qualquer mudança que nós precisarmos”.

Mas a infra-estrutura de rede ofertadas em Plataforma Aberta não são tão boa ainda como os sistemas tradicionais, acredita ele, assim “nós continuaremos a ser uma vitrine da Cisco em termos de infra-estrutura de rede”, diz Daniel. “As soluções de roteamento com Plataforma Aberta tende a ser mais lentos”.

Os fornecedores de Plataforma de Roteamento Abertas não acreditam que seus produtos não competem com as capacidades fornecidas pelos fornecedores de sistemas proprietários. Dave Roberts, vice-presidente de estratégia e marketing da Vyatta, diz que a companhia está em negociação com um número de companhias de tamanho variado que desejam manter os custos em check no momento que forem capazes de mudar para código fonte aberto para ajustá-los a suas necessidades. A Plataforma Aberta oferece esta capacidade, e sistemas proprietários não, diz ele.

Mas algumas companhias não tem conhecimento técnico suficiente para mexer no código fonte aberto a fim de adequar suas próprias necessidades, contesta Rao e graduados da Cisco. Universidades, que tem estudantes e pessoal com conhecimento técnico, são notáveis exceções. E mesmo as companhias com conhecimento técnico não podem ter o conhecimento necessário do código fonte aberto para manter os sistemas de sua propriedade. A American Fiber Solutions, por exemplo, contratou a Digium Incorporated, criadora do Asterisk, para dar o suporte técnico bem como o sistema Asterisk por si mesmo.

Bill Miller, vice-presidente de gestão de produtos e de Marketing da Digium, admite que muitos dos clientes da sua companhia são formados por aqueles com algum conhecimento internalizado. Mas, ele diz que a Digium também fornece suporte para estes clientes e prospecta qual a necessidade que eles têm.


Cisco Rebate Críticas a Custo

Joe Burton, diretor de Engenharia para Comunicações Unificadas da Cisco, rebate a isso já que o custo de suporte é decomposto em fatores, a Cisco é competitiva em preço com os sistemas de Plataforma Aberta. Adicionalmente, ele diz que, a Cisco já usa Plataforma Aberta, notadamente o servidor Web Apache, em alguns dos seus produtos.

“Nós acreditamos que a Plataforma Aberta é muito forte em algumas áreas”, diz Burton. “Nós temos um história de contribuição a ela, do impulso ao Linux, ao Apache e outros sistema de código fonte aberto. Nós continuamos de olho no custo de nossa própria solução para assegurar que o custo completo de nosso produto tenha comparação favorável com outros no Mercado. Tão longo nós continuamos fornecer o valor justo total aos nossos clientes, nós continuaremos manter nossa fatia justa do negócio”.

Apesar do mercado de roteadores, obviamente, ser muito recente, Matthias Machowinski, analista da direção da Infonetics Research Incorporated em Campbell, Califórnia, diz que existe nicho de produtos em Plataforma Aberta na fatia deste mercado. Ele não os chamaria de uma ameaça a Cisco, no entanto, porque o mercado como um todo está crescendo.

“A Plataforma Aberta está crescendo como uma enorme explosão silenciosa, mas o bolo como um todo está também ficando enorme”, diz Machowinski. Como existe mais demanda por sistemas de Roteadores e PABX IP, as companhias que fornecem solução em Plataforma Aberta podem ser muito bem sucedidas sem tomar qualquer fatia significativa do extenso mercado da Cisco, muito embora a Avaya possa acrescentar algo mais a competição na fatia do mercado focada em preço, sustenta ele.

“O que seria uma forte ameaça seria alguém fornecer uma solução de Plataforma Aberta pronta para o uso” sem nenhuma necessidade de mexer em código fonte, diz Machowinski.

Mesmo assim, Daniel da Sam Houston University sugere que a Cisco terá de repensar sobre suas práticas de licenciamento para tornar sua oferta de PABX IP a um custo mais competitivo com os produtos em Plataforma Aberta.

Acrescenta Agate, “Isso pode gerar um enorme impacto na Cisco. Esse é o caminho que a tecnologia de Voz sobre IP estará tomando no futuro”.


Phillip Britt is president of S&P Enterprises Inc., a Chicago-area editorial services firm. In that capacity, he has covered technology subjects for 15 years for several national publications.
 
 
< Anterior   Próximo >

Apoio


 

Blog

A feed could not be found at http://www.voipmania.com.br/blog/rss

Login






Perdeu a senha?
Cadastre-se agora!
Advertisement

Enquete

Meu dia a dia com o Asterisk é: